domingo

O Mosteiro dos Gatos no Chipre


Normalmente as pessoas não têm conhecimento de histórias fabulosas e verídicas que acontecem com animais... Temos por norma ouvir e conhecer as desgraças, saber o que acontece de mal e ficar deprimido com as más notícias, mas também existem, e felizmente, coisas boas para os nossos amigos de 4 patas. Neste caso para os gatos. Leia a história fabulosa e verídica de um mosteiro no Chipre que é conhecido como o "Mosteiro dos Gatos."
O Mosteiro de São Nicolau no Chipre é o verdadeiro paraíso para os felinos. São Nicolau viu o seu nome associado aos Gatos pelo menos desde há 2000 anos. Foi construído em 327 d.c. por Kalokeros, o primeiro governador bizantino do Chipre, e patrocinado por Santa Helena, mãe de Constantino, o Grande. Na época referida a nação cipriota sofreu terríveis secas que afetaram a ilha onde se localiza este país, e a mesma foi invadida por milhares de cobras venenosas o que tornou a construção e manutenção do mosteiro demasiado perigosa. 

Muitos dos habitantes da ilha abandonaram as suas casas e fugiram da ilha deixando tudo para trás com medo da epidemia das cobras. Santa Helena, no entanto, arranjou uma solução para combater estes inimigos. Ordenou que fossem enviados do Egipto e da Palestina, 1000 Gatos, para combater os répteis na Ilha do Chipre. 

Nos anos seguintes, os Gatos fizeram o seu dever, caçando e matando a maioria das cobras da Península de Akrotiri, que logo veio a ser conhecido como a “Península dos Gatos”. Os monges utilizavam um sino para chamar os Gatos ao mosteiro na hora da refeição, e, em seguida, os felinos eram despachados para as suas funções de caçadores de cobras. 

Todo este acontecimento surpreendente tornou-se conhecido além-fronteiras e milhares de peregrinos da Europa visitavam o Mosteiro de São Nicolau para ver os guardiões felinos que lá existiam. Foram mesmo descobertos documento de um monge Veneziano que descrevia que muitos dos Gatos do Mosteiro possuíam cicatrizes, tinham perdido partes do corpo e muitos estavam completamente cegos, resultados das batalhas que travavam contar as cobras venenosas. 

De acordo com os escritos do Padre Estevão de Lusignan, em 1580, as terras de São Nicolau seriam concedidas aos monges bizantinos do Mosteiro de São Nicolau com a condição de que eles deveriam comprometer-se para sempre a cuidar e alimentar no mínimo 100 gatos pelo menos 2 vezes por dia. E assim foi. Os Gatos eram tão bem treinados pelos monges que sabiam que ao primeiro toque do sino estava na hora da refeição e dirigiam-se todos em massa para o Mosteiro. 

Quando ouviam o segundo toque, os gatos retiravam-se para dar início a uma nova caçada. Durante a Invasão Turca, o Mosteiro de São Nicolau dos Gatos, foi completamente destruído e os monges residentes, foram assassinados ou levados como prisioneiros. A tragédia deixou os pobres gatos sem comida e sem abrigo como era suposto existir, o que os obrigou a vaguear pela ilha, razão pela qual ainda se diz hoje no Chipre ser o motivo da existência de muitos gatos de rua. 

Depois de ser reconstruído e abandonado por diversas vezes, a história do Mosteiro de São Nicolau dos Gatos recomeçou em 1983, quando foi entregue a um grupo de freiras. Quando lá chegaram não existia um único gato sequer à vista. No entanto, o número de serpentes venenosas era mais uma vez impressionante. 

Á semelhança da atitude de Santa Helena centenas de anos antes, as freiras levaram alguns gatos para o mosteiro com o intuito de combaterem a praga novamente. A população felina porém, foi aumentando ao longo dos anos levando a que existam no local dezenas de Gatos entregues a meia dúzia de freiras. Muitas das pessoas ainda hoje levam para o Mosteiro Gatos abandonados que ali são alimentados e tratados. 

O Mosteiro dos Gatos recebe um subsídio do Governo do Chipre, mas que não é o suficiente para alimentar e tratar de toda a população felina, portanto, as freiras aceitam as doações e ajudas, dos moradores, turistas e amantes dos gatos. No presente os Ciprianos continuam agradecidos pelos felinos terem terminado com a praga das cobras séculos antes. Como recompensa é tradição na ilha tomarem conta dos gatos, alimentando-os e ajudando-os no que poderem. 

[Na imagem, gatos do Mosteiro de São Nicolau no Chipre – Autor Desconhecido]


2 comentários:

eva disse...

muito interessante essa história. Queria conhecer o mosteiro dos gatos.
;)

Mily Mingau disse...

Eu gostaria de morar neste parariso! bjs!