domingo

Arquitetos criam casas inusitadas para gatos abandonados

 
Arquitetos de Nova Iorque se uniram para fornecer locais de abrigo público aos gatos abandonados da metrópole. Foto: Kathy Doucette via Flickr
Móveis e objetos usados, caixas de madeira e latas de alumínio reciclado estão sendo utilizados para a fabricação das mais novas invenções arquitetônicas de Nova Iorque. No dia 10 de janeiro, arquitetos orgulhosamente apresentaram seus designs e construções. Mas não se trata de arquitetura para humanos, e sim para gatos que vivem nas ruas. As informações são da Global Animal.

Há três anos, a arquiteta Leslie Farrel criou a Architects for Animals, um movimento para chamar a atenção para o grande número de gatos abandonados na capital. O porta-voz da NYC´s Animals, Steve Gruber, estima que o número de gatos que vivem nas ruas da metrópole é de centenas de milhares, ou mesmo milhões.

De acordo com o New York Times, os objetivos de Leslie foram “chamar a atenção para a questão dos gatos abandonados e recrutar arquitetos para criar abrigos que fossem quentes, portáteis, seguros, fáceis de limpar e acessíveis”.

O refúgio feito de alumínio, chamado “Tin Hut”, foi criado por Kathryn Walton, arquiteta e fundadora da ONG de resgate de felinos chamada American Street Cat. A casinha é feita com mais de 300 latas recicladas, forradas com tecido jeans e suspensas do chão para manter os gatos secos durante os tempos de chuva.

“Nós não sabemos quem dorme com quem”, afirmou Kathryn. “Mas há alguns grupos de gatos que estão sempre juntos, e este abrigo pode acomodar até quatro gatos”. Ela vai colocar sua instalação em uma área cheia de gatos abandonados e monitorá-lo para garantir que, quando o tempo ficar muito quente e a casinha esquentar muito, ela retirará temporariamente do local e a guardará em sua casa.

Muitos outros arquitetos contribuíram para a causa. Scott Francisco, fundador do Pilot Projects, e Anne Chen, construíram uma tenda de palha para os galhos e chamaram a obra de “DIY NYC Gato Fort”.

Sara Silvestri, da empresa H3 Hardy Collaboration Architecture, criou um abrigo em forma de caixa de plástico, com uma entrada coberta por um círculo de borracha”, relatou o New York Times. Um outro cubículo construído a partir de um cooler foi desenvolvido por Adão e Sofia Zimmerman, do escritório Zimmerman Workshop Architecture + Design.

Todas estas casas estilosas foram projetadas e construídas por menos de 100 dólares cada e são, como Francisco afirmou, projetos do tipo “faça você mesmo”, o que significa que qualquer um pode dar ao gato das redondezas um novo estilo de vida.

Graças a esses arquitetos compassivos, esses gatos que vivem nas ruas agora têm um pequeno lugar para chamar de lar.

Um comentário:

Mily Mingau disse...

Que ótima ideia eles precisam tanto da gente devemos fazer o que tiver ao nosso alcance para ajuda-los.